sábado, 1 de janeiro de 2011

Cristãos que não comemoram o Natal!

Alguns segmentos das igrejas chamadas "evangélicas" (definidas como neo-evangélicas), além de não comemorarem o Natal, criticam duramente a festividade, o estranho é que a data representa (simbolicamente) o nascimento de Cristo, ou seja, o homem que eles tanto admiram e dizem seguir seus ensinamentos.
 Por que estes cristãos são contra o Natal?
 Será que este ato rebelde (na visão dos demais cristãos) tem algum fundamento?
 Bom, segundo estas Igrejas (ou seitas, como preferir) o Natal não deve ser comemorado pois em nenhum texto biblico a data do nascimento de Jesus é mencionado, portanto se Deus não quis revelar a data precisa, não devemos comemorar...
 O "Deus" acima poderia facilmente ser trocado por "Bíblia", pois na realidade, seria a seguinte afirmação:
 "Se na Bíblia a data não é revelada, não devemos comemorar"
 Pelo que podemos entender, seja você cristão ou não, a Bíblia não é Deus, e sim um conjunto de livros (escrito, publicado e selecionado por homens), que até poderia representar a "Palavra de Deus" porém apenas a palavra e não tratar o livro como um Deus VIVO.
 Outra critica sobre a data do Natal seria a de que o dia 25 de dezembro seria a data da maior festa das antigas religiões Romana e Egípcia (Festa de Saturno, ou Saturnalia para os romanos e de Horus, o filho do Sol para os egípcios), de uma forma ou de outra, as festividades marcavam o solstício de inverno, e como sempre tentamos mostrar a realidade da época, o que vemos é o seguinte cenário:
 A Religião Cristã recém liberada de perseguições pelo império romano vê duas grandes festas pagãs com muita popularidade e decide usar a data como também a sua festa principal, superando a pascoa que esta sim celebrada antes mesmo da morte de Jesus, e institui SIMBOLICAMENTE o dia 25 de dezembro como a data da natividade, ou seja, o Natal, o dia em que se comemora o nascimento de Jesus.
 A data praticamente nunca havia sido contestada, sempre foi aceita por católicos e protestantes (a arvore de Natal que temos em nossas casas se deve a uma visão de Martim Lutero, líder da revolução protestante) ao redor do mundo, a onda de protesto contra ela, em vista da idade da religião cristã, pode-se dizer que é muito recente, tento em vista que ela é encabeçada por novas igrejas formadas entre os anos de 1960 e 1975, vale lembrar que a data foi instituída por volta de 400 dc.
 Historiadores e arqueólogos, todos praticamente concordam que Jesus nunca poderia ter nascido em dezembro, ou que seja pelo menos no inverno da região, pois pelo que a Bíblia narra, seria impossível alguém nascer quase que ao relento em um inverno extremamente rigoroso, como também ninguém viajaria longas distancias neste período, e também não haveria pastores como os narrados na Bíblia, a data mais propicia para isso seria em setembro, e não em dezembro, dando certa força a esse movimento.
 Porém a explicação da igreja é de extrema força, honestidade e inocência, a data é simplesmente simbólica, não é exatamente a data em que Jesus nasceu, a data e praticamente impossível de ser calculada com precisão, o fato mais importante seria comemorar o nascimento, o dia em si, poderia ser qualquer uma, foi instituído o dia 25 de dezembro apenas para facilitar a conversão de pagãos ao cristianismo, algo fundamental para o crescimento da religião cristã como um todo na época.
 O que se pode contestar sobre isso?
 Absolutamente nada, se a própria igreja nunca negou que se trata de uma data simbólica, por que de tantas críticas? E mais ainda, por que só agora?
 Um dos motivos é a banalização econômica da data, pois hoje o natal é muito mais "Dia do Papai Noel" do que o dia do nascimento de Jesus.
 Na realidade o próprio "Papai Noel" ou melhor, São Nicolau, tem sua própria data, que seria o dia 6 de dezembro, uma data muito próxima do dia 25, e Nicolau foi conhecido por seus presentes (ou melhor, doações), demonstrando uma generosidade absoluta, algo muito parecido com o sentimento representado pelo nascimento de Jesus, ou melhor, nada melhor que a generosidade para representar o dia de Jesus.
 Ainda há quem diga que não devemos comemorar por refletir ou retratar uma comemoração pagã, bom se comemorar o nascimento de cristo é um ato pagão, o que então não seria?

 Agora fica aqui uma singela indagação a esse movimento (apesar de duvidar-mos que algum deles responda)
 Se não se comemora o nascimento de cristo, vale mais comemorar sua MORTE? Jesus não merece ter um dia dedicado ao seu nascimento? Vocês que se dizem cristãos preferem a morte que a vida?

 Reflitam vocês mesmos, seja você Cristão ou não, pelo menos pelo que nós entendemos, a vida vale muito mais que a morte, como é que ele poderia ter sido quem foi se não houvesse nascido? e qual seria a melhor imagem, a de um menino em uma manjedoura ou a de um homem na cruz?

 Uma outra reflexão sobre o assunto nos mostra que o Novo Testamento nunca teve e nem tentou ter tanta precisão com datas, o mesmo não ocorre com o Antigo Testamento, este sim possui datas muito mais precisas, qualquer um, até mesmo leigos ao assunto sabe que o ano mesmo em que Jesus nasceu não é o ano 1, e sim cerca do ano 6 AC (a data do censo em que a Bíblia se refere), no Novo Testamento vemos sim uma narração de uma história, uma ÚNICA história, e em sua maios parte, apenas retratando ideias, formas de agir ou de pensar, não necessariamente um diário, com data, local e hora.

 Claro que tem os contras do nosso Natal moderno, a imagem que mais simboliza o Natal, ou seja a imagem do Papai Noel (ou São Nicolau) que nos conhecemos (o velhinho barrigudo de roupa vermelha), acreditem, tem dono, a imagem foi definida por volta de 1931 pela Coca Cola que encomendou uma imagem do bom velhinho trajando roupas vermelhas (antes a roupa era verde, muito semelhante a imagem de um lenhador com roupas de inverno) para suas campanhas de publicidade, e registrou a imagem, ou seja, o Natal pode não ter dono, mas a Coca Cola é dona de pelo menos uma parte dele! Porém a própria empresa não cobra pela utilização da imagem (na realidade apenas a imagem do velhinho utilizando a roupa vermelha, cor da marca da empresa) que é de utilização livre.

 O Natal é a data festiva mais comemorada pelas empresas, pois é um período de aquecimento de mercado, uma data que movimenta  bilhões todos os anos e alavanca a economia, claro que existe muita especulação financeira, porém nada que se possa considerar maligno, pois o aquecimento econômico promove empregos e gera desenvolvimento.

 Seja financeiro ou emocional o Natal apenas colabora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO:
Lembre-se que você é o responsavel pelos seus comentários.
Não permitimos:
Ofensas ou discriminação de qualquer tipo.
Comentários que o assunto não seja relacionado ao tema proposto.
Caso infrinja algum do critérios, poderá ter seu comentário excluído sem aviso prévio.