quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

PaleoSETI – Registros Rupestres



O homem, sendo um ser social e possuindo a capacidade de uma linguagem complexa sempre sentiu a necessidade de demonstrar seus sentimentos, seus pensamentos e invariavelmente de registrar suas tradições culturais. Tal necessidade de expressão faz parte de nossa natureza cognitiva e deu vazão a "vontade de registrar" “de preservar e transmitir” para as futuras gerações as informações importantes para os grupos sociais.
Sabemos que isso sempre se fez presente na humanidade através da maior evidencia desta atividade que é a chamada “Arte Rupestre”, que são as pinturas e gravuras em rochas, algumas muito antigas, até mesmo pré-históricas. Em nossa espécie, as pinturas rupestres são uma prova de que este desejo de transmitir conteúdos através de uma linguagem simbólica é uma constante, sempre estivemos envoltos nesta preocupação e absorvidos por esta atividade e tudo indica que continuaremos a desenvolver nossas capacidades.
 Mais do que a transmissão de informação simbólica em linguagens ideográficas, nestes registros supõe-se que estão expressas formas de arte, cosmologias, signos mágicos, religiosos e transcendentes. Para a cultura moderna o que é apenas uma “pintura na parede de uma caverna” pode ter sido o centro do universo cognitivo de povos inteiros que viam o mundo de maneira muito diferente de nós em nosso tempo. Para se ter uma idéia, na maioria das vezes, a própria lógica com a qual pensavam os homens do passado parece te sido completamente diferente da dessa nossa civilização ocidental que hoje pensa e age através do racionalismo da ciência – é por isso que o processo científico que é feito para se estudar essa Arte Rupestre esta sempre voltado para as chamadas ciências humanas.