quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

E-cat Seu reator nuclear pessoal


Já imaginou não ter mais que pagar conta de luz? O primeiro pensamento vem sobre a economia, mas na realidade a busca não se resume ao valor pago pela energia, e sim para produzir energia de forma mais limpa, sem poluições, renovável, se fosse inclusive mais caro, mesmo assim apresenta vantagens, mas de graça, bom, melhor ainda.
 Nos dias atuais possuímos painéis solares e geradores eólicos, são os melhores modelos que temos de energia renovável, eles não poluem, mas são caros, possuem vida útil e dependem de manutenção especializada.
 Não é de hoje que centros de pesquisa em todo mundo buscam melhores alternativas para a produção de energia de forma mais eficiente e preservando o meio ambiente, o assunto é de extrema importância e de interesse de todos, sem nenhuma exceção, e novas possibilidades são apresentadas o tempo todo, seja para a economia de energia utilizada por equipamentos, seja no desenvolvimento de melhores condutores, seja na conscientização de um consumo racional de energia.

 Países como a China, por exemplo, possuem usinas de carvão, na realidade a maior parte da energia produzida no pais com a maior população do mundo (por conseqüência maior consumo de energia) é a forma mais poluente que existe de se obter energia, e também um dos países que mais investem em energia renovável, inclusive com programas públicos para a instalação de painéis solares em comunidades mais carentes (já são os maiores produtores mundiais de painéis solares).
 Agora imagine uma fonte de energia limpa, sem lixo, auto-sustentável, com apenas um investimento inicial baixo e que te fornecesse energia suficiente para abastecer todo o consumo de sua residência? Parece até "conto de fada", mas é justamente o que promete o revolucionário E-Cat (Energy Cataliser, ou catalisador de energia)
 Os princípios utilizados pelo E-Cat foram inicialmente apresentados em 1989 por Martin Fleischmann e Stanley Pons, trata-se de "fusão a frio", um principio que permitiria obter uma fusão nuclear a temperatura ambiente. A teoria apenas apresentada, não houve qualquer tipo de comprovação física na época, e é claro, foi rejeitada por toda a comunidade científica.
 Porque que a fusão a frio não pode existir?
 Segundo os físicos a razão é bastante simples, um átomo repele outro átomo, e existe uma barreira que a chamam de Coulomb, para rompê-la é necessária muita energia para obter temperaturas extremamente elevadas, em função disto é que uma usina nuclear produz energia pro fissão, elevando a temperatura, quebrando o átomo e produzindo a energia, um método caro, perigoso, mas eficiente, já que a energia obtida é muito superior a utilizada em sua produção, porém é radioativa, produz um lixo altamente tóxico e de difícil manipulação, além do custo para a construção de uma usina ser caro, bem como o urânio que deve ser enriquecido (outro processo caro e difícil). Porém funciona, é atualmente uma das fontes mais utilizadas para se obter energia, principalmente em países mais desenvolvidos como Estados Unidos, Japão ou Alemanha.
 Assim que o assunto foi apresentado, se iniciaram as acusações, era muito comum afirmações de físicos em todo o mundo como:
 "Não possui fundamento algum"
 "É pura especulação, querem aparecer"
 "Quem eles são? Deus? talvez nem deus o faça"
 "A pseudociência é um câncer, fundamentos físicos não são brincadeiras de ficção cientifica"
 "Fundamentos físicos são universais e imutáveis, portanto, não existe tal possibilidade"

 A perseguição foi tamanha, que nem mesmo patentes requeridas para o desenvolvimento de dispositivos se utilizando de fusão a frio(e possuir aparo legal, garantindo retorno ao investimento, e também a propriedade intelectual) foram aceitas, isso fez com que a fusão a frio fosse esquecida, ninguém se aventurava, pois nenhum centro de pesquisa aprovaria, muito menos financiaria (já que não possui garantias sobre a propriedade da descoberta)
 Como foi abandonado, ai então se tornou um dos maiores argumentos sobre a consolidação de leis físicas, sempre que surgia uma nova possibilidade a fusão a frio era citada, desta forma, inibindo novas pesquisas.
 Então, no inicio de 2011, surge Andrea Rossi e Sergio Focardi, não apenas apresentaram a teoria, mas a comprovaram, e com hidrogênio liquido e níquel em pó (nada de Urânio, Plutônio ou qualquer outro tipo de material extremamente radioativo), foi gerado energia sem o calor necessário para a fusão, claro, foram atacados, e ainda são, mas eles mostraram, e novas demonstrações ao longo de 2011 foram feitas, e todas com sucesso satisfatório, até mesmo uma usina baseada neste principio foi anunciada, mas parece que alguns problemas contratuais impediram.
 O funcionamento e a composição do equipamento não são revelados, afinal, não possui patente, este é agora o maior argumento contrário, alegam que para comprovar é necessário que o E-Cat seja estudado, Rossi não permite e não divulga como o construiu, no que ele este absolutamente correto.
 E os ataques continuavam...
 Continuavam...
 Ridículo, foi provado, mas...
 "A pseudociência é um câncer..." lembra.
 "Nem deus teria como fazer"
 "Não possui fundamento algum"
 "Leis físicas são universais e imutáveis"

 Mas, entra um novo personagem na história, a NASA anuncia o requerimento da patente no LEANR (a sigla americana para fusão nuclear a frio), a mesma patente que ninguem conseguia registrar, bom, é a NASA, eles conseguem.
 E então, é incrível, mas as coisas mudaram:
 "Alguns fenômenos físicos ainda não são totalmente compreendidos"
 "Apesar de improvável, bom, não é impossível"
 "É extremamente gratificante ver a ciência moderna dar um passo tão importante"
 "Com novas pesquisas, poderemos entender melhor o universo e o que nos cerca"

 Bom, é a NASA
 "0,0000000000...1 não é 0, mesmo que improvável, pode ser possível"
 A equação seria com 40 zeros, esta é a explicação atual de como poderia ser possível, e o mito, a lenda, ou chame do que quiser da fusão a frio se torna realidade.
 Rossi promete ainda para 2012 a comercialização dos E-Cats para o consumidor final, a NASA produziu um vídeo em que apresenta o pedido de patente e promete a energia limpa, auto-sustentável e barata, baseada na mesma tecnologia empregada pelo E-Cat.
 O que fazer agora com o concreto das hidroelétricas e usinas nucleares?
 Se preferir, compre um carro elétrico e ligue ele no E-Cat, pra que petróleo? O vai se tornar o posto de gasolina ao lado da sua casa?
 Um modelo um pouco mais potente pode ser utilizado em aviões, ou até mesmo mandar o homem pro espaço, ou a NASA teria intenção de produzi-lo por qual motivo?
 O acontece com a física no caso em especifico? Ela MUDOU? Ou apenas não é compreendida? Que ela deve ser vista com outros olhos? Que Einstein também foi perseguido?
 Será que novas tecnologias não são pesquisadas por não haver base cientifica suficiente ou porque pode derrubar grandes investidores?
 Até quando nossa ciência vai ter que evoluir no anonimato de grandes homens que desafiam a todos e seguem perseguindo seus sonhos?
 Rossi ainda corre o risco de perder a propriedade intelectual de suas descobertas, mesmo assim ele continua.
Abaixo o link do seu blog pessoal, ele o atualiza com freqüência, até porque é uma prova de que ele lutou contra tudo e contra todos para realizar um sonho que beneficia toda a humanidade.

http://rossifocardifusion.com

Além de beneficiar toda a humanidade, deve ser visto também como a comunidade cientifica deve rever seus conceitos, abrir espaços para pesquisas , mesmo que seja contra alguns conceitos que se imaginava possuir total conhecimento, pois a fusão fria mostra não que a física esteja incorreta, mas sim que ainda não é totalmente compreendida, portanto, muita coisa ainda pode ser descoberta, basta dar espaço e apoio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO:
Lembre-se que você é o responsavel pelos seus comentários.
Não permitimos:
Ofensas ou discriminação de qualquer tipo.
Comentários que o assunto não seja relacionado ao tema proposto.
Caso infrinja algum do critérios, poderá ter seu comentário excluído sem aviso prévio.